segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Isso tudo me leva.

Todo o tempo somos influenciados por regras e de repente nos damos conta do poder de simplesmente dizer um basta. Esse tempo chega. Caso nosso pensamento fosse igual ao do compahneiro de prisão e não tivesse a mínima graça, seria tudo sem significado algum. Hoje acordei com vontade de fazer o que mais gosto e ponto. Tenho liberdade pra isso. Comprei garrafinhas de Chandon, não fui trabalhar, cansei de não ser sexy, dei um chute no tudo certinho. Era hora de dormir, degustar, escrever, ouvir aquela música, caminhar sem destino, ler em lugar diferente do fretado, usar óculos escuro, desenhar prepotência sem ter, escrever mais um pouco, falar ao telefone, deixar a televisão ligada em meia luz. Senti um cheiro de verão, li o que desejei, percebi a delicadeza de ser. Não abandono o barco facilmente, mas tenho a certeza da falta que faço. Meus melhores amigos moram em outra cidade, e eu na minha. Pareço arrogante, porém sou um aquariano, desapegado, aleatório, sempre acreditando. Um dia decidi sair do lugar onde só tem gente bonita e vim pro lugar onde tem de tudo. Me emocionei sozinho, não me deslumbrei e segui firme na compaixão de ser. Respiro poluição diariamente e nem sempre foi assim. Um dia tomava leite da vaca, me levavam somente de carro e nunca precisei pagar água potável. Amanhã não tenho a mínima idéia. Mesmo possuindo um pré-planejamento que pode ser considerado um pré-conceito, tenho a certeza de que hoje não vou seguir regras. Eu vou ali e já volto. E que sintam falta. Acho dignidade ter o poder em minhas próprias ações. Experimenta quando puder. Por opção.

2 comentários:

SUPER BLACK disse...

vamos todos entrar pro clube do nadismo do Bohrer!heheheh.

muito bom!

xxx

si disse...

Muito bom! Um brinde para a liberdade!